PEDALANDO PELO NEPAL E PELA ÍNDIA
Por três meses e meio em 1989, pedalei de Katmandu (Nepal) ao Ladakh (Índia) cobrindo uma distância de mais de 3.000 quilômetros. A viagem teve início em Katmandu de onde segui para Varanasi, Agra, Delhi, Daramshala, Srinagar, Ladakh e Zanskar. Em Daramshala fiquei um mês em um monastério budista onde fiz um curso de filosofia budista. De Zanskar, onde a estrada acabava, segui caminhando por 10 dias de volta a Manali onde terminou a viagem.

Veja abaixo o relato completo




DA AUSTRÁLIA PARA O BRASIL
De dezembro de 1990 a maio de 1991 percorri quase 10.000 quilômetros pedalando pela Nova Zelândia, Tahiti, Ilha da Páscoa, Chile, Argentina e Uruguai entrando no Brasil via Chui e chegando em São Paulo. Durante esses seis meses também fiz alguns trekking e raftings na Ilha do Sul da Nova Zelândia e Chile.

Veja abaixo o relato completo




DESAFIO DE ATITUDE
Durante o mês de maio de 1997, guiei o projeto por mim idealizado de levar um grupo de sete amputados de perna e dois paraplégicos ao Nepal para realizar uma série de esportes de aventura. Em 20 dias conhecemos Katmandu e outras cidades do Vale, voamos de balão, fizemos safáris de elefantes, andamos de bicicleta e fizemos um rafting de 6 dias de duração em um rio classe 5.

O projeto chamou-se Desafio de Atitude e teve como objetivo mostrar à sociedade e aos outros portadores de deficiência física que, com determinação e apoio, o portador pode levar uma vida participativa e produtiva dentro da sociedade, desenvolvendo ao máximo seu potencial emocional, físico e intelectual.

O principal patrocinador deste projeto foi a Elma Chips.

Veja abaixo o relato completo




DE VOLTA AO HIMALAIA INDIANO
Por três meses, em 1993, pedalei ao redor de 3.000 quilômetros pelas regiões de Knnaur, Spiti, Ladakh e Caxemira do Himalaia Indiano. Esta viagem foi feita durante os meses de maio, junho e julho, quando parte das estradas ainda estavam bloqueadas pelas neves do rigoroso inverno.

Veja abaixo o relato completo




PRIMEIRA TRAVESSIA FLEURY ATLÂNTICO AO PACÍFICO
De setembro a dezembro de 2002 realizei uma travessia esportiva única: pedalei 1300 quilômetros de São Paulo a Porto Alegre, remei 400 quilômetros atravessando a Lagoa dos Patos de Porto Alegre a Rio Grande, corri 336 quilômetros, pedalei outros 2300 quilômetros de Montividéo até Viña del Mar no Chile. Em seguida escalei com sucesso a mais alta montanha das Américas, o Aconcagua com 6965 metros.
Este projeto foi patrocinado pelo Labotatório Fleury.

Veja abaixo o relato completo